Pensar em criatividade, investir na cultura de inovação e acreditar em soluções provenientes de uma ferramenta da área pode parecer um risco à primeira vista, mas abordagens como o Design Thinking são de ótima ajuda para encontrar soluções em projetos, aumentar a assertividade e, assim, maior rentabilidade. É possível aplicar conceitos de inteligência criativa coletiva e envolver líderes da organização para incentivar um pensamento crítico e evoluir com o design.

Todavia, isso leva tempo, se aprende com os erros e acertos, mas principalmente transforma a cultura da empresa: ideias podem ser compartilhadas, as diversidades são valorizadas e a censura aos diversos pontos de vista enfraquece nesse processo.

O bom design se constrói com a evolução da cultura na equipe. Evolução porque com as interfaces continuamente melhores, diferenciar produtos por uma boa experiência se torna cada vez mais difícil.

O usuário já colocou a experiencia como requisito principal. E nesse ponto, além da visão de usuário como ponto central no desenvolvimento de projetos, é preciso lidar com expectativas, e mais do que isso, superá-las.

Evolução e expectativas estão diretamente ligadas ao design. As expectativas mudam ao longo do processo, as pessoas mudam, as ideias mudam e, principalmente, as necessidades mudam. Lidar com as emergências de um projeto é o que faz a virada de um bom design. Não somente pensando em interfaces, mas no relacionamento com cliente e com a equipe.

Aí pode-se acrescentar mais um item: lidar com a complexidade do produto. A complexidade do desconhecido, do início de um levantamento de negócio, das incertezas. Saber lidar com as incertezas coloca você um passo à frente da complexidade e, por sua vez, as emergências de um projeto.

Mas como lidar com tudo isso? As soluções inovadoras devem sempre ser buscadas, respeitando os limites tecnológicos e financeiros, mas principalmente a relevância para os envolvidos. Uma solução inovadora só será verdadeira se refletir um desejo ou uma necessidade atendida, o bom design vai um pouco além e atende às expectativas.

Em tempos em que se é exigida uma postura mais humana das organizações, trabalhar com Design Thinking faz toda a diferença. Empatia no processo, na cultura organizacional e no relacionamento entre equipe e cliente.

 

 User Experience e Desing Thinking no eProdutor

Tendência no mercado mundial, a metodologia de abordagem para implementação de projetos e desenvolvimento de soluções com base na experiência do usuário torna as ferramentas mais assertivas e intuitivas, baseada na experimentação e no entendimento de necessidades dos usuários e objetivos de negócio.

Com base nessa linha de entender as reais necessidades do produtor rural e proporcionar um programa mais intuito, que o eProdutor desenvolve seus projetos. Com o uso do Design Thinking, em nossos processos internos, nos concentramos nas pessoas, com foco em solucionar um problema do usuário.

Com a abordagem do User Experience, criamos interações entre usuários, produtos e serviços de forma a compreender suas motivações e padrões de comportamento, construindo um sistema que não seja apenas útil, mas sim profundamente desejado.

Passamos por diversas etapas que incluem compreender, explorar e materializar. Dentro do nosso processo, seguimos um fluxo de empatia, definição, idealização, prototipação, testagem e, por último, implementação.

Diante de todo esse processo, buscamos assegurar aos nossos clientes do campo a melhor experiência, para que tenham uma gestão mais fácil, ágil e eficiente, conseguindo assim alcançar melhores resultados financeiros em seu negócio.

Saiba mais sobre o eProdutor. Consulte um especialista e transforme o seu modo de trabalhar. www.eprodutor.com.br | contato@eprodutor.com.br

 

Autor
Jéssica Gelenski | User Experience Designer

2 thoughts on “Design Thinking no desenvolvimento de soluções tecnológicas para o Produtor Rural

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *