O cultivo da Soja no Brasil inicialmente era restrito a região sul, pois até os anos de 1970, a principal barreira para cultivar soja era o fotoperíodo (numero de horas de luz por dia), uma vez que a soja é uma das espécies cultivadas mais sensíveis ao comprimento do dia, que regula a indução floral e o crescimento da cultura. Nesse período os cultivares possuíam período juvenil curto e floresciam muito precocemente acima da região sul do pais. Com os avanços no melhoramento genético, foram introduzidos genes que condicionaram as plantas um periodo juvenil longo, possibilitando assim o cultivo em outras regiões do Brasil.

LUZ  

Para a Soja a radiação solar esta relacionada com a fotossíntese, alongamento de haste principal e ramificações, expansão foliar, pegamento de vagens e grãos e fixação biológica. A utilização de cultivares de grupo de maturidade inadequado para determinada região pode reduzir o tempo para o florescimento, o que reflete negativamente no desenvolvimento da área foliar, e consequentemente, na otimização dos fatores primários de produção orgânica.

Assim, para uma mesma latitude, certos cultivares podem ser de maturação precoce ou tardia, dependendo do fotoperíodo critico exigido para que ocorra a indução ao florescimento, ou seja, se dois cultivares forem semeados na mesma data, o que tiver fotoperíodo critico maior irá florescer antes. pois será induzido mais precocemente, enquanto o cultivar com fotoperíodo critico menor será induzido mais tardiamente.

UMIDADE

Quanto maior a umidade relativa do ar, maior a probabilidade de surgirem doenças. A ocorrência de doenças nas plantas de depende da relação entre a planta, a doença e o ambiente. A umidade influencia diretamente a produção e esporulação de inóculo de fungos. Deste modo o espaçamento entre linhas influencia diretamente no microclima e na umidade gerada entre as folhas.

TEMPERATURA

A Soja é mais adaptada a temperaturas entre 20 e 30 ºC, sendo o ideal  para seu crescimento e desenvolvimento em torno de 30 ºC. Temperaturas elevadas induzem a uma floração precoce, podendo acarretar na diminuição da altura de planta, esse problema pode agravar se houver insuficiência de chuvas.

A maturação também pode ser acelerada pela ocorrência de altas temperaturas. A qualidade de sementes é afetada negativamente quando a umidade e a temperatura estão altas, mas temperaturas baixas na fase de maturação, associadas aos periodos chuvosos ou de alta umidade, podem atrasas a data de colheita.

CHUVAS

A disponibilidade de água é importante durante todo o desenvolvimento da cultura, no entanto, o período de germinação-emergência, e o de floração e enchimento de grãos são os mais críticos.

A necessidade de água vai aumentando na proporção que a planta se desenvolve, chegando ao máximo durante a floração e o enchimento de grãos, decrescendo após esse período. A necessidade total de água na soja, para obtenção do máximo rendimento, varia entre 450 e 800 mm/Ciclo, dependendo das condições climáticas, do manejo da cultura e a duração do ciclo da cultivar.

Lucas Dierings
Eng. Agrônomo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *